/* Facebook Like button

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

O ASSINALADO

Tu és o louco da imortal loucura,
O louco da loucura mais suprema.
A Terra é sempre a tua negra algema,
Prende-te nela a extrema Desventura.

Mas essa mesma algema de amargura,
Mas essa mesma Desventura extrema
Faz que tu'alma suplicando gema
E rebente em estrelas de ternura.

Tu és o Poeta, o grande Assinalado
Que povoas o mundo despovoado,
De belezas eternas, pouco a pouco...

Na Natureza prodigiosa e rica
Toda a audácia dos nervos justifica
Os teus espasmos imortais de louco!


Cruz e Sousa


Continue lendo...

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

O Louco

Você já se sentiu descendo ladeira abaixo sem freio? Já se jogou do décimo andar e saiu voando? Não? Como assim? Sua vida é com ou sem pimenta? É com ou sem emoção? Você tem todas as respostas e já traçou todos os caminhos? Se a resposta para a última pergunta é sim, fica um conselho: mude a rota e deixe-se levar pelo instinto pelo desejo espontâneo, ao menos uma vez na vida, meu caro e minha cara.

Se estiver tudo certinho demais, tudo parado, lembre-se: é hora de iniciar uma nova jornada, mesmo que seja nas pequenas coisas. Lembra dos segmentos de reta das aulas de matemática? Um pequeno desvio já faz toda a diferença, rapaz e rapariga. Faça então como o louco e dê o salto no abismo. Por quê? Por curiosidade, por vontade de viver, por alegria, por paixão, para ser sincero com você mesmo, ou pelo simples prazer em tentar alguma coisa.

Você verá que muita coisa pode acontecer, mudar e, para melhor. Nem sempre a meta traçada, pré concebida é a mais interessante. Se você sentir que está faltando algo, se sentir um irresistível desejo de liberdade, abra-se para o mistério, para o novo e coloque-se no lugar de todas as possibilidades. Faça isso com toda a responsabilidade que lhe restar, já que dar vazão ao louco é confiar somente no instinto. O que não é pouco!

Faça então amizade com o seu instinto e ponha-se a caminho, cara pálida. É bom viver e aprender brincando!
Continue lendo...

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Coro do Escravos Hebreus (Va Pensiero), Nabucco,Verdi

A orquestra tocou essa!

Continue lendo...

Sant'Ambrogio

Hoje não tive aula de Storia dell'arte e aproveitei a folga pra ir estudar in loco. Fui conhecer a Basílica di Sant'Ambrogio, basílica erguida pelo Santo, Bispo, patrono da cidade de Milão, appunto Ambrósio que viveu no quarto século d.C.

Essa é una delle chiese mais importantes de Milão, ao lado da bellissima Duomo.

Sant'Ambrogio não foi um santo vero e proprio, na verdade ( e quem é que foi?) O seu milagre se resume em ter sido o mais competente bispo que a cidade havia tido até então. Ele amenizou rixas entre as mais diversas facções, contornou dogmatismos e promoveu a cidade de Milão como pólo cultural, já que era uma homem de muita cultura.

Ele foi mesmo uma espécie de prefeito, alguém que soube dinamizar a cidade em termos econômicos e culturais. E esse tipo de procedimento era bastante comum no final do império romano do ocidente, ou seja, um bispo que era, na verdade, um homem secular, alguém que gestia a cidade. Além, é claro, de desenvolver um ruolo religioso.

Eu fui lá, então, conhecer e me ambientar ainda mais com a iconografia cristã.

Sant'Ambrogio é considerado um dos pais da Igreja Católica e, por isso mesmo, é representado em muitas outras Igrejas e pinturas. Foi ele quem batizou Santo Agostinho, para se ter uma idéia.

Uma das maiores atrações da Basílica é o altar de ouro feito em ouro, prata e pedras preciosas. Só neste altar, vêm representadas boa parte das imagens, do que se precisa saber de iconografia cristã.


O engraçado é que eu não pude nem chegar perto do altar, mas não reclamo não. Penso que tive muita sorte, na verdade. Isso porque, chegando lá, tinha nada mais nada menos que uma orquestra montada, ensaiando. E a orquestra deu muitas palhinhas para quem estava lá assistindo. Eu, a dire la verità, adoro visitar igrejas, de um modo geral, e aqui todas elas têm um perfume de incenso de mirra que mi piace molto. Agora, junte tudo isso ao som de uma grande orquestra, numa igreja. Não é sensacional?

Só vou ter que voltar outro dia lá para ver o altar de ouro.
Continue lendo...

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

As cores e os colares do outono






Continue lendo...

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Para acompanhar a Lua cheia em Áries no Baile do Céu...

Continue lendo...

Dionísio

Dionísio resolveu visitar as donas de casa de Marino.
Milagre? Nã, nã, nã...estamos na Itália, meu bem!

Veja aqui na BBCBrasil

Triunfo de Baco. Charles Auguste Fraikin, Museu das Belas Artes de Bruxelas.
Continue lendo...

domingo, 12 de outubro de 2008

Noite estrelada

Vincent Van Gogh

“Quando ouvi o erudito astrônomo,
quando as provas, os números,
despuseram-se em colunas à minha frente,
quando me mostraram os mapas e diagramas,
para somar, dividir e medi-los,
quando, sentado, ouvi o astrônomo
ali onde dava sua aula muito elogiada na sala de palestras,
como foi rápido o inexplicável cansaço que se abateu
até que levantando-me e deslizando para fora
distanciei-me sozinho pela mística umidade do ar noturno e,
de vez em quando, olhava para o alto,
em perfeito silêncio, mirando as estrelas.”

Walt Whitman
Continue lendo...

sábado, 11 de outubro de 2008

Como prometido...

Onde está o Waly?



Eu e o Maestro Paolo, meu professor libriano. Ricca creatura che adora stare in mezzo alla gente!



Rússia, Brasil e Ucrânia. Na foto, esses dois parecem meus guarda-costas.



Equador, Brasil, Maestro Franco e Índia.


Maestro Piergiacomo, meu professor "precisino" do ano passado.



O fotógrafo e a ex União Soviética!

Continue lendo...

Saturni dies

Sabato, sábado!

Hoje, vou receber meu diploma da "Scuola di Italiano Louis Massignon". Foi uma prova de certificação linguística que fizemos (eu e meus colegas) em julho, no final do ano letivo, através da Universidade de Perugia. Não tem nada a ver com a universidade onde eu estudo. É uma escola aqui de Novara que ensina língua, cultura e história italiana para estrangeiros. As aulas são muito boas e, lá conheci gente de todo o mundo.

Agora, quando penso em Índia, Rússia, Marrocos, Ucraina, Polônia, Albânia, etc, me vêm à mente não um lugar distante e exótico, mas uma pessoa que conheci e que me contou como é a vida por lá. Cada história! Muita gente vêm em busca de uma vida melhor, de um "simples" emprego.

Em Bangladesh, por exemplo, o que acontece é que só uma pessoa da família trabalha e o salário dela serve para sustentar todos os outros. Isso porque lá tem muita gente e pouco emprego. Então, eles vêm trabalhar na agricultura, na construção civil e no comércio, muitos em "nero" e por isso mesmo ganhando muito pouco. As loiras do leste europeu, deixam suas famílias e filhos e vêm cuidar "dei bambini italiani". E assim que podem, voltam e trazem seus entes queridos para morar junto delas. Dureza pouca é bobagem, mas histórias de superação também não faltam, não.

Mas voltando, os professores da escola fazem parte da "Comunità di Sant'Egidio", uma comunidade católica bem forte por aqui. É uma comunidade internacional que tem muitos projetos pelo mundo todo, principalmente no continente africano. O que eu acho legal é que são um grupo de pessoas laicas que não têm o intuito de converter ninguém. Simplesmente se deram conta do quanto são privilegiadas e resolveram fazer uso dos seus privilégios para ajudar quem os têm pouco, ou quem não tem nenhum. Eles criaram aqui "una vera e propria politica di integrazione", algo que o governo italiano está remando para conseguir. Durante as aulas, os passeios, as festas ( ah, eles adoram uma festa) a gente sente na veia a diversidade como uma riqueza e não como algo a se ter "paura'.

De tarde eu vou lá, depois conto como foi e ponho umas fotinhos aqui.

Continue lendo...

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Giovedì

Oggi è Giovedì, dia de Giove - Quinta-feira, dia de Júpiter no português. Em Espanhol, Jeuve. Em Frânces, Jeudi.

O Guimarães Rosa chamou Júpiter de Jove:

"Aos quais, sol a sol e val a val, mapeados por modos e caminhos tortuosos, nas principais tinham sido, rol: a do Jove, entre o Ribeirão Maquiné e o Rio das Pedras - fazenda com espaço de casarão e sobrefartura:.."

Expansão, fartura, fé, confiança, graça e benefícios são relacionados a Júpiter.

Agora, veja outras palavras do italiano que participam desse mesmo campo semântico:

Gioia pode ser: jóia, alegria, felicidade, amorzinho, pedra preciosa e gozo.

O verbo giovare que significa obter ajuda ou benefício, obter prazer, facilitar, ser útil.

Fartura? E a crise financeira? pelo menos hoje, a arte de viver da fé, só não se sabe fé em quê...

Ah, e já ia me esquecendo, eu sabia que o Grêmio iria retomar seu lugar no liderança do campeonato brasileiro. Eu sempre soube! :-)

Continue lendo...

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Ítaca


Amanhã e sexta terei duas aulas sobre a Odisséia. Devo dizer que já perdi as contas de quantas aulas já tive sobre essa célebre obra e quantas vezes já a li e re-li, mas devo dizer também que absolutamente não me canso. Sempre que leio, me surpreendo. Por isso é um clássico, uma grande história que não se esgota e inspirou, inspira e inspirará outros tantos escritores.

No trimestre passado, por exemplo, estudamos um autor italiano, Giovanni Pascoli, que retomando uma passagem da Odisséia e tomando-a como ponto de partida, - a profecia de Tirésias, o cego, no canto XI, quando Ulisse desceu ao Hades - escreveu "L'ultimo viaggio". Nessa obra o Ulisse não é descrito como magnâmico e astuto como o é na concepção grega. Ao contrário, depois de retornar à Ítaca vê toda a sua vida e as experiências e aventuras passadas se dissolverem em um sonho/sono. Bom, mas essa é uma outra história...

Voltando à Odisséia de Homero, uma das coisas que eu mais gosto é que Ulisses não busca o caminho mais fácil e curto para retornar para os braços da sua Penélope. Ao contrário, ele busca aventura por diversas vezes. Mais por mera curiosidade do que pelas recompensas que obteria. E é graças a esse desejo e inquietude que Ulisses pode nos contar as suas peripécias, no seu racconto para o Rei Alcino.

É uma metáfora da nossa própria viagem nessa vida. É como se o livro nos dissesse: Ei, você não pode esquivar-se da sua curiosidade, dos perigos e das aventuras, pois ao fazer isso você estará abdicando da própria vida, do sentido de ter iniciado essa viagem. Pelo menos pra mim, assim soa. E por isso adoro o Ulisses, sua astúcia, inteligência e curiosidade. Pensar que se não fosse por ele, os gregos não teriam vencido a Guerra de Tróia!

No entanto, geralmente o que pensamos já foi pensado por alguém antes e, a prova disso, é que quando me aventurei para fora do ninho familiar, pela primeira vez, recebi de uma amiga, ( a quem agradeço imensamente: obrigada Carol!), este texto abaixo inspirado na Odisséia:

ÍTACA

Quando partires em direção a Ítaca,
que a tua jornada seja longa
repleta de aventuras, plena de conhecimento.

Não temas Laestrigones e Ciclopes nem o furioso Poseidon
não irás encontrá-los no caminho, se o pensamento estiver elevado,
se a emoção jamais abandonar o teu corpo e o teu espírito.
Laestrigones e Ciclopes e o furioso Poseidon
não estarão no teu caminho
se não os levares na tua alma,
se a tua alma não os colocar diante dos teus passos.

Espero que a tua estrada seja longa.
Que sejam muitas as manhãs de Verão,
que o prazer de ver os primeiros portos
traga alegria nunca vista.
Procura visitar os empórios da Fenícia
recolhe o que há de melhor.
Vai às cidades do Egipto,
aprende com o povo que tem tanto a ensinar.

Não percas Ítaca de vista,
pois chegar lá é o teu destino.
Mas não apresses os teus passos;
é melhor que a jornada dure muitos anos
e o teu barco só ancore na ilha
quando já estiveres enriquecido
com o que conheceste no caminho.

Não esperes que Ítaca te dê mais riquezas.
Ítaca já deu uma bela viagem;
sem Ítaca jamais terias partido.
Ela já te deu tudo, e nada mais te pode dar.

Se, no final, achares que Ítaca é pobre,
não penses que ela te enganou.
Porque te tornaste um sábio, viveste uma vida intensa,
e este é o significado de Ítaca.

Poema da autoria de Konstantinos Kavafis
Continue lendo...

domingo, 5 de outubro de 2008

Valentina, la forma del tempo

Fomos visitar uma das muitas mostras da Triennale di Milano: Valentina, la forma del tempo. Uma homenagem a um dos mais famosos cartunistas italianos, Guido Crepax, falecido em 2003.

Na mostra, vemos Valentina Rosselli, sua personagem mais famosa: uma bellissima e sensual fotógrafa milanese, inspirada na atriz do cinema mudo Louise Brooks. Valentina é uma personagem que conquistou as décadas de 60, 70, 80 e 90. Mulher independente, casada e com filho e, ao mesmo tempo, portadora de uma série de fantasias eróticas, muitas delas de submissão.

Valentina embarca nas mais variadas viagens oníricas, ricas de simbologia surrealista, instrospecção psicológica que deságuam sempre num mundo de Eros. A personagem apareceu pela primeira vez em 1965, na Revista Linus. A princípio era destinada a um papel secundário, mas o público a amou desde sempre. Ela tem inclusive uma carteira de identidade. Valentina, segundo seu criador, nasceu no dia 25 de dezembro de 1942, em Milão.

Fiz o mapa do dia do "nascimento"de Valentina e eis que a bela tem Sol, Vênus e Mercurio em Capricórnio. Capricórnio é o signo regido por Saturno, o deus do tempo do relógio, que marca com a sua batida o passar dos anos. Tá explicado, então, pois Valentina vai envelhecendo ao longo do tempo nas suas histórias. Além do que, a moça tem uma carreira: é fotógrafa. É uma mulher séria, portanto. Capricórnio rege a casa 10, a casa da carreira e da vocação.

De fato, Valentina surge numa época em que as mulheres estavam justamente lutando por um lugar ao sol. A personagem trabalha e tem ainda uma família. Ela tem Júpiter em Câncer e deve conciliar suas obrigações de fotógrafa, sua carreira, com o papel de mãe. A lhe acordar ( e a nos acordar) de seus sonhos e fantasias, em muitas histórias, é o choro do filho Mathias.

É interessante também o fato de que o nome da mostra faça menção ao tempo, tema indiscusso de Capricórnio.

Mas o appariscente mundo subterrâneo da bela, se explica mesmo, ao meu ver, porque ela tem a Lua no criativo e caloroso signo de Leão e, possivelmente, essa Lua está conjunta a Plutão ( não tenho o horário de nascimento). Acredito na conjunção, pois ela explicaria a densidade emocional de Valentina. Através dos quadrinhos, da arte de Crepax, entramos em contato com os problemas reais da personagem: a anorexia, os pesadelos e delírios, os sonhos e alucinações. Tudo isso, num corpo de felina que se mostra sem muitos tabus e com muita arte e luxo, claro.

A mostra é linda. Tem as histórias de Valentina ocupando gigantescas paredes, se vê as inúmeras influências artísticas de Crepax e ainda se faz o percurso ao som de Chet Backer: My funny Valentine.

Outra coisa bem legal da obra de Crepax é reconhecer Milão, suas ruas, paradas de metrô, cenários e praças.

Quem quiser dar uma espiadinha no universo de Valentina, clique aqui.

Fotos? só da entrada da exposição, purtroppo:


Non ho altro da dire!

Continue lendo...

sábado, 4 de outubro de 2008

Hino do Grêmio Gauchesco

E dê-lhe gaita, gaiteiro!

COM O GRÊMIO ONDE O GRÊMIO ESTIVER!

Continue lendo...

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Here comes the sky

Parco dei bambini. Novara, Itália.

Já fazia alguns bons dias que o céu não aparecia por aqui. Tempo carregado, denso de nuvens, dias escuros, folhas caindo por toda a parte, névoa e muita umidade. Dias assim têm sua beleza, claro! Mas quando é demais começa a dar um desespero no vivente. Bom mesmo é quando o tempo muda!

E hoje mudou, improvisamente! Num giro de 2 horas. Foi o tempo d'eu assistir minha primeira aula de Civiltà letteraria greca. Quando saí da aula havia caído um toró, o vento havia levado embora todas as nuvens e o céu e o sol finalmente haviam dado o ar de suas graças. Será que foi porque a Lua saiu do Escorpião e foi para Sagitário? Sagitário é regido por Júpiter, o senhor do Olimpo, que tem visão além do alcance. Só pode ter sido ele, cansado também do tempo meleca, a soprar o mau tempo para outra freguesia.

Eu que não sou boba nem nada, ao invés de ir pra casa, cavalguei na minha bicicleta e fui pro parque tirar fotos do belo dia de outono.

Olha meu cavalo aí:

E eu bem felizinha!

Zeus gosta de uma chuva e de muitos raios, claro. Mas, hoje, ele tá sorrindo com o céu sereno.

Lá no fundo é o Monte Olimpo. Viu?
Continue lendo...
 

Sites amigos

  • Lua em Leão - A Lua pôs a alma pra secar no Sol de Leão. Mas ué, o Sol não está em Peixes? Está, está. A Lua somente transita o signo regido pelo Sol. Regido e rugido. R...
    Há um mês

Atendimentos

Entre em contato comigo pelo e-mail danischeifler@gmail.com Ou pelo Skype Daniela Scheifler

Sites amigos

Text

Baile no céu Copyright © 2009 WoodMag is Designed by Ipietoon for Free Blogger Template